20/12/2011

Prêmio Defenestrando 2011 - Música do Ano

Eis a primeira categoria do Prêmio Defenestrando 2011. Não sabe do que estamos falando? Clique aqui para ler o post em que explicamos melhor essa história.

Escolher uma Música do Ano talvez não seja assim uma tarefa tão fácil. Visto não haver canções pré-indicadas, cada votante poderia escolher a música que quisesse. Sendo assim, um total de 61 músicas foram mencionadas por todos os convidados, e, entre essas, apenas sete foram escolhidas por pelo menos três votantes. O consenso parece difícil, e talvez seja isso que explique os dois empates triplos que tivemos ao final da votação. 

Mas 2011 foi um ano atípico: houve sim uma única música a escolher, essa que é definitivamente a música desse ano. Você sabe qual é, todos sabemos qual é. Mas prêmio é prêmio, e temos formalidades a cumprir antes de anunciar a vencedora. Então vamos às outras músicas mais votadas:



5) Três músicas empatadas em quinto lugar:

Vou de bike - Real Coletivo Dub
Em “Vou de bike” o veterano grupo Real Coletivo Dub conta com a participação especial de Eek-a-Mouse, grande nome do reggae jamaicano. A letra fala sobre as vantagens de se andar de bicicleta e chega a mencionar incidentes relacionados ao cicloativismo curitibano. Enquanto isso, o instrumental deixa tudo com uma vibe muito boa. (FG)



Domingos - Alexandre Nero
Em “Domingos”, Alexandre Nero faz música com o poema de Domingos de Oliveira. O resultado é algo que mistura notas sublimes com letras românticas e... putaria. Ok, talvez não seja putaria, talvez seja só sexo mesmo, mas o refrão diz com todas as letras: “Vamos fuder o dia inteiro!”
Curiosidade: Alexandre Nero é ator da novela Fina Estampa. (FG)



Canção pra não voltar - A Banda Mais Bonita da Cidade
Composição de Léo Fressato, a música já chamava atenção antes do boom da BMBDC. Com um riff de guitarra que remete a Radiohead (propositalmente, antes que alguém fale em plágio), "Canção pra não voltar" sintetiza o potencial da Banda Mais Bonita, tirando o melhor de cada um de seus bons músicos. É a prova de que nem só de "Oração" vive A Banda Mais Bonita da Cidade. (MC)


2) Outras três músicas empatadas em segundo lugar:

Zarabatana - ruído/mm
“Zarabatana” é a segunda faixa de Introdução à cortina do sótão, o terceiro disco lançado pelo ruído/mm, grupo de post rock instrumental dos pinheirais. Ela começa assim, no meio de uma parede sonora forte, de acordes graves, e vai passando por desertos e tempestades de areia. Há calmarias no meio disso tudo, e no final a música (canção?) vai crescendo até acabar grandiosa. Guitarras e piano concordam: o momento é denso, a situação é complicada, mas há um ressurgir, um reerguer-se. É como se a música, mesmo instrumental, ensinasse: é difícil cair, mas você se levanta muito mais forte. (FG)


Maria Lúcia estava em chamas - Lemoskine
Se ano passado a menina Alice foi quem deu as caras na música de Rodrigo Lemos, agora é a vez de Maria Lúcia. Lançada como single de Natal nos últimos dias de 2010, "Maria Lúcia Estava em Chamas" foi a primeira canção a carregar o nome do projeto Lemoskine, logo mostrando algo diferente do primeiro EP, que ainda levava só o nome de Lemos. Há certo mistério sobre a personagem Maria Lúcia, realçado pelos efeitos e timbres que dão à música uma atmosfera muito característica e marcante. (MC)


O prestidigitador - ruído/mm
Grande feito: o ruído/mm emplaca – e empata – duas músicas entre as melhores do ano em Curitiba (e há ainda mais “Petit Pavé” e "Valsa dos Desertores", que ficaram em oitavo e decimo lugares, respectivamente). “O prestigitador” é a última faixa da Introdução à cortina do sótão e começa com uma sequência suave de piano: um lugar calmo, ensolarado. Este começo é a passagem mais bonita entre todas as músicas gravadas pelo ruído/mm, mas conforme a música passa, a paisagem muda, e acabamos indo parar em algum ponto sombrio e, quem sabe, extraterrestre. (FG)


1) Oração - A Banda Mais Bonita da Cidade
Claro. Se a categoria era a música do ano em Curitiba não havia como a composição de Leo Fressato não ser a grande vencedora. Talvez, quem sabe, essa possa ter sido até mesmo a música do ano no Brasil – afirmação delicada que muitos poderão contestar, mas não há como negar seu caráter único e especial: o que dizer de uma música (e de um vídeo) que explodem assim, de uma hora para outra e de maneira tão incrível? Há algo muito forte em Oração. 
Algo que ninguém soube definir bem o que é, mas é alguma coisa tão marcante que fez A Banda Mais Bonita da Cidade deixar de ser uma banda pouco conhecida até mesmo em sua cidade natal para, em questão de dois ou três dias, se transformar em um nome conhecido país afora. 
No entanto deve ser deixado claro que Oração não foi um grande consenso entre os votantes: apenas oito entre os 21 convidados colocaram-na em seus top fives, e entre estes somente um a escolheu como a melhor do ano. (FG)


Clique aqui para conhecer as dez músicas mais votadas e suas pontuações. Ou clique aqui para conhecer a forma como foram apurados os votos e as indicações de cada votante.

Um comentário:

NERI DA ROSA disse...

FOI O ANO DA REVOLTA MUSICAL CURITIBANA PROVOCADO PELO "NÃO" À MÚSICA LOCAL NA EDUCATIVA FM.....
Não votei neles mas fiquei feliz de ver o REAL COLETIVO DUB na lista.... em 2012 vcs vão ver a invasão hip hop/rap/beatmaker nas listas. Curitiba é assim: surpreendente. Parabéns Defenestrandos... Neri (UV, Mofonovo)